∞/21M
₿LOCO:
Loading...

Mercado Satoshi

O Padrão Bitcoin Pode Tornar Guerras Inviáveis?

₿LOCO 811,940

Explore o debate sobre se a adoção do Bitcoin como forma de dinheiro poderia tornar a guerra inviável, levando os governos a buscar estratégias alternativas para a resolução de conflitos.

“Make War Expensive Again” é um slogan do Bitcoin proposto em um tweet recente de Adam Ortolf, da Upstream Data. Ele afirmou que a guerra se tornou “100% gratuita (+ insanamente lucrativa)” devido à capacidade dos governos de criar bilhões de dólares à vontade para gastos militares.

No entanto, será que uma transição para o Bitcoin – uma nova forma de dinheiro (hard money) – poderia realmente tornar a guerra inviável? O conceito certamente não é novo, mas é um debate fascinante. Em 2014, Roger Ver declarou

“Toda vez que você usa Bitcoin, você está ajudando a minar as máquinas de guerra em todo o mundo e o poder daqueles que usariam a violência para controlar os outros.”

Bitcoin vs Guerra?  

Há muito tempo, o Bitcoin e seus defensores argumentam que a moeda poderia inaugurar uma nova era do dinheiro . Ao contrário das moedas fiduciárias tradicionais, que são propensas à inflação e à manipulação pelos bancos centrais, o Bitcoin tem um suprimento fixo de 21 milhões de moedas, o que garante sua escassez. Em teoria, essa oferta limitada poderia tornar o Bitcoin menos suscetível à desvalorização da moeda e levar os governos a adotar um comportamento mais responsável do ponto de vista fiscal.
Como isso se relaciona com a guerra? Historicamente, as guerras têm sido financiadas por meio de mecanismos inflacionários, como a impressão de dinheiro. Essa prática permite que os governos financiem operações militares sem consequências financeiras imediatas. Em vez disso, os custos são repassados aos cidadãos por meio de preços mais altos e uma moeda mais fraca. A adoção do Bitcoin ou de outras moedas fortes poderia restringir essa capacidade de gastos aparentemente infinita.

Como Saifedean Ammous escreveu em seu livro, The Bitcoin Standard, 

“Enquanto o governo pudesse imprimir mais dinheiro e fazer com que esse dinheiro fosse aceito por seus cidadãos e estrangeiros, ele poderia continuar financiando a guerra.”

É uma suposição viável que a limitação das finanças dos governos poderia dissuadir os países de se envolverem em intervenções militares de larga escala. Entretanto, ao se depararem com a incapacidade de inflar as dívidas relacionadas à guerra, as nações podem recorrer a estratégias alternativas, incluindo a diplomacia e outras medidas não relacionadas a combate, para resolver disputas.

Em seu livro Soft War, o Major da Força Espacial dos EUA Jason Lowery chega a dizer que os EUA deveriam estocar Bitcoin, pois a mineração de Bitcoin será o campo de batalha do futuro. Ele chamou o Bitcoin de

“Um imperativo estratégico nacional que os EUA devem apoiar e adotar o mais rápido possível, caso contrário, correm o risco de perder sua liderança como superpotência global no século XXI”.

Uma Revolução Não Violenta

 

Em resposta a Ortolf, Taiwandan, conselheiro da Comissão Nacional de Ativos Digitais de El Salvador, levantou preocupações sobre as possíveis consequências da transição para um padrão Bitcoin. Embora concordasse que o Bitcoin poderia tornar a guerra mais cara e menos provável, ele questionou como essa transição ocorreria sem resultar em um futuro distópico. Uma visão interessante, já que o movimento de El Salvador para adotar o Bitcoin foi altamente divulgado.

Taiwandan sugeriu que, à medida que as nações avançam em direção ao padrão Bitcoin, aquelas que têm a capacidade de imprimir dinheiro podem fazê-lo excessivamente para construir um arsenal de armas e, por fim, levar a uma potência dominante ou a um ditador que controle o cenário global.

A refutação de Ortolf se concentrou na crença de que a transição para o Bitcoin não será uma decisão tomada pelos governos por vontade própria, mas sim uma mudança que ocorre quando o mercado não valoriza mais o dinheiro fiduciário fornecido pelos governos. De acordo com ele, o mundo pode optar coletivamente por sair do sistema financeiro atual exigindo dinheiro vivo para bens e serviços.

“O mercado decide não mais valorizar o papel com o qual os governos tentam pagar. Não é uma decisão que os governos tomam, a não ser porque são obrigados.

O mundo opta por sair do esquema exigindo dinheiro de verdade para bens e serviços. Uma revolução não violenta”.

O Bitcoin Pode Acabar com as “Guerras Eternas”?

 

É fundamental entender que a guerra não é simplesmente uma equação financeira. Os conflitos materiais são muitas vezes exacerbados por motivações ideológicas, religiosas e nacionalistas que os fatores econômicos, por si só, não conseguem suprimir rapidamente. Além disso, é improvável que as nações poderosas parem com seus lucrativos setores de defesa apenas porque o financiamento se tornou mais difícil. Os governos podem buscar métodos alternativos de financiamento, como impostos mais altos, empréstimos ou até mesmo contribuições obrigatórias do setor privado.

Em última análise, o papel do Bitcoin em tornar a guerra cara novamente pode ser um conceito atraente. Ainda assim, ele também poderia levar a consequências não intencionais, como impostos mais altos, aumento de empréstimos ou medidas coercitivas voltadas para o setor privado.